IMPORTANTE: O Banco de Séries não serve para assistir séries! Somos uma rede social onde os fãs de séries podem controlar os episódios que assistiram, dar notas, comentar, criar sua agenda, saber quando passa o próximo episódio. Somos totalmente contra a pirataria e não disponibilizamos conteúdo que fere direitos autorais.

Everwood By Johnathan Fernandes





Episodio 1x2 - Nota 8.5

Cara, o Ephram quando dana a ser chato é chato mesmo hein! Nossa, quanto sarcasmo desnecessário, tudo bem que eu entendo a mágoa que ele tem do pai, mas ele exagera demais. Que professora mais sem noção essa da Delia, a desculpa do porque colocar só os meninos na frente é no mínimo risível, por favor. Ainda bem que ouviu umas no final. Ephram pisou na bola com a Amy, já vejo isso atrapalhando a amizade dos dois mais lá pra frente.
2017-05-27 16:45:35


Episodio 1x3 - Nota 9

Adorei toda a discussão que o plot da Nina trouxe para esse episódio. Primeiro, é típico de cidade pequena ter vizinhos que se metem na vidas uns dos outros né? Achei um absurdo eles julgarem a Nina da forma como eles julgaram. Se ela quer ser mãe de aluguel qual é o problema? O que eles têm a ver com isso? Me irritou muito todo esse julgamento e o discurso podre do Harold, o pior é que eles aplaudiram. Ainda bem que existe Andy, que aliás mitou muito nesse episódio, que discurso!!! Adorei ele defendendo a Nina e falando umas verdades que todos eles tinham que ouvir.
2017-05-27 17:38:50


Episodio 1x4 - Nota 8.5

O diálogo do Andy com o Ephram < 3 < 3 < 3
2017-05-27 18:29:43


Episodio 1x7 - Nota 9

Descobrimos o que realmente aconteceu com o Colin. É, pelas reações que Bright tinha sempre que Amy o pedia que a acompanhasse no hospital me faziam ter teorias que ele pudesse estar mais envolvido no acidente do que parecia. E as teorias se confirmaram, Bright era quem estava dirigindo e não Colin. Gostei de todos os flashbacks, de ver a importância da amizade de Colin para Bright, e o quanto a responsabilidade pelo acidente pesa muito nele. Por um momento eu achei que a cirugia não daria certo e Colin morreria, mas não, eu estava errado. Vamos ver o que vai acontecer agora que Colin está de volta, logicamente um triangulo amoroso envolvendo Amy, Colin e Ephram será formando, acredito eu.
2017-05-31 17:22:06


Episodio 1x9 - Nota 8.5

Tanto Andy como Ephram estão errando muito em não saber enxergar o lado um do outro. Ephram por não reconhecer as mudanças e tentativas de aproximação do pai, e o Andy por não saber lidar com Ephram e tomando atitudes não facilitam em nada que seu filho tenha algum tipo de vontade de ter algum relacionamento com ele. Acho que isso só vai mudar quando ambos assumirem isso e ficarem juntos e fazer tudo dar certo.
Achei que o avó do Ephram também pecou, levar o jovem de volta só iria piorar as coisas, ainda mais com Delia sendo ainda apenas uma criança que acabou de perder a mãe.
2018-04-18 21:29:54


Episodio 1x10 - Nota 8.5

Hahahahaha a cena da Edna com o Bright foi engraçada. Aliás, mais Bright nos episódios, por favor!!!!
Finalmente parece que vamos ter um progresso no relacionamento entre Ephram e Andy.
2018-04-18 21:33:31


Episodio 1x11 - Nota 8.5

Episódios de Thanksgiving não são um episódio de Thanksgiving que preste se não tiver drama, ainda bem que tivemos nesse aqui.
Fiquei triste pela Delia, principalmente sendo ela tão jovem e já tendo que lidar com o luto. Mesmo não tendo o resultado esperado, fiquei muito feliz com a atitude do Ephram nesse episódio.
2018-04-18 21:36:33


Episodio 1x12 - Nota 8.5

Ephram e o pai finalmente se entendendo, ouvi um aleluia?
Nossa, triste o Colin ter poucas memórias das pessoas e dos acontecimentos.
2019-02-03 16:04:40


Episodio 1x13 - Nota 8.5

Não esperava essa aproximação do Colin com o Ephram
2019-02-03 16:08:30


Episodio 1x14 - Nota 8.5

Que situação triste essa que o Colin está passando. Deve ser horrível você passar tanto tempo em coma e voltar a ser inserido num contexto de antes tendo pouca lembrança de tudo. A escola e a mãe dele demonstraram uma falta de preparo sem tamanho pra lidar com a situação dele. O Andy estava certíssimo em dizer que era muito cedo para ele encarar o convívio social, pô, o cara tá precisando de anotações em papel para se lembrar de coisas básicas. Fingir que está tudo bem não é a saída mais inteligente. Eu entendo o Colin ficar irritado e se sentir frustado, encarei isso como uma reação da natural do mesmo. Ninguém gosta de se sentir assim. Mesmo assim, acho que ele deveria sim começar a abrir espaço e aceitar a ajuda dos outros, como ele meio que deixou o Ephram fazer nesse episódio. Aliás, Ephram só me dando orgulho ajudando o Colin.
Um dos momentos mais bacanas do episódio foi Bright socorrendo a irmã na hora da nomeação do rei e rainha do evento lá. Aquilo foi muito bonito. Me relacionei com ele quando ele falou que estava sentindo a falta de sua amizade com o Colin.
Gostei do enfoque deram para a Nina, mas achei seu plot o mais fraco do episódio.
2019-04-28 17:52:10


Episodio 1x15 - Nota 8.5

Apesar das boas intenções do Ephram, acho que ele deveria se afastar um pouco e interferir menos na relação do Colin com a Amy, até porque a garota já se demonstrou pouco confortável com essas interferências dele, e eu não sei até quando eles vão conseguir esconder as coisas do Colin.
A Amy também deveria ser mais compreensiva com o Colin. Sim, deve ser chato seu namorado ainda não se lembrar de você e de momentos marcantes que ambos tiveram juntos, mas ele já tá começando a se lembrar de algumas coisas, aos poucos, mas tá. Custa ser um pouquinho paciente? E, outra, ela pode ir construindo novas lembranças com ele, enquanto ele está nesse momento de recuperação. Cobrar e ficar irritada não vai ajudar.
A história do reverendo foi muito triste.
Usarem o Abbott como alívio cômico foi uma decisão mega acertada. Ri pacas com ele nesse episódio.
2019-04-29 19:56:03


Episodio 1x16 - Nota 8.5

Que bom que não enrolaram e o Colin já tá mais a pá do de como era Amy/Ephram em sua época de coma. Esse rapaz não é nada bobo, ele percebeu antes mesmo que a própria Amy que ela poderia estar interessada no Ephram e demonstrou uma maturidade enorme em saber lidar bem com isso dizendo que vai esperar com que ela descubra o que quer. Adorei essa parte. Por mais que Ephram e Amy sejam, digamos assim, aquele tipo de casal que tá ali para todo mundo torcer para que eles ficam juntos, eu gosto do Colin com a Amy, e estou curtindo muito Ephram com a Laynie também. Sei lá, talvez não tivemos Ephram e Amy como um casal efetivo para que eu shippasse os dois.
Sobre o Andy e Gretchen, é muito cedo ainda. Você não supera uma perda ou alguém com quem você passou grande parte da sua vida assim de forma rápida. Vai levar um tempo. Porém, adorei o exercício da escrita.
Eu morri com o velho que tava louco para transar kkkkkkkkk
2019-04-29 21:51:31


Episodio 1x17 - Nota 8.5

Hahahaha sabia que eles iriam encontrar uma saída engraçada e que tudo não passaria de um mal entendido.
Episódio diferente e bem cômico no que diz questão ao plot do assassinato. Estou adorando que o Andy e o Harold estão ficando mais amigos, e o Harold tá muito engraçado nesses últimos episódios.
Eu já imaginei que Ephram e Laynie não duraria muito tempo. Uma pena já que eu estava shippando os dois. Ephram segue na friendzone.
O relacionamento do Andy com o filho é tão complicado que até o professor de piano pegou no ar que ambos tem problemas não resolvidos. Gostei do que ele falou para o Andy, que as vezes exagera demais na suas tentativas de ser um pai protetor.
2019-05-01 18:40:20


Episodio 1x18 - Nota 10

Talvez o melhor episódio da temporada. Tudo porque finalmente eles se aprofundaram no passado dos Brown momentos antes do acidente que tirou a vida da Julia. Eu estava esperando por um momento assim, em que poderia ver mais como era a figura da Julia na família.
Depois desse episódio, a atitude do Ephram ficou cada vez mais justificada aos meus olhos. O Andy praticamente era um pai ausente que focava mais na carreira profissional e pouco tinha contado com os filhos e até mesmo com a mulher. Vendo-o esconder a traição de Julia dos filhos, vi que, além de querer proteger a imagem que eles tinham da mãe, ele se sentia culpado pelo o que aconteceu. Tadinho do Ephram ter que descobrir que fez suposições erradas do Andy, quando era Julia quem tinha algo a esconder dele. Enfim, acho que agora o Ephram entendendo como estava o casamento dos pais antes do acidente ele dê uma oportunidade ao seu pai e dê a ele uma segunda chance de recomeçar a relação entre eles. No fim, é basicamente isso que o Andy quer quando se propôs a mudar para Everwood: ser um pai presente.
Eu não entendi nem um pouco a atitude dos pais do Colin. Como assim você vê seu filho demonstrando efeitos colaterais a cirurgia, você tem um médico vigilante, preocupado com os sintomas do mesmo e você o manda embora? Não faz sentido!!! O que eles têm na cabeça?
Amy ficando com raiva do pai por ele ter feito o trabalho dele foi uma atitude bem infantil.
2019-05-01 18:49:26


Episodio 1x19 - Nota 8.5

Chega a ser absurdo ver o Colin ficando perdido, agressivo e todo mundo notando isso e passando o pano achando que é o certo a se fazer. NÃOOOOOO!!!!! Não é. Cadê os pais dele que não exergam que ele não está bem e precisa de ajuda? Os adultos são mais irresponsáveis que os adolescentes, porra!
Ephram cada vez mais sensato. Que crescimento esse personagem teve.
2019-05-26 10:48:35


Episodio 1x20 - Nota 8

Eu não curti tanto esse episódio, simplesmente porque achei esse plot do professor com a aluna bem boring, mas novamente tenho que vir aqui enaltecer o crescimento do Ephram enquanto personagem.
2019-05-26 10:49:23


Episodio 1x21 - Nota 9

Esse plot da gravidez foi um hino. Que abordagem espetacular que fizeram sobre aborto nesse episódio. É por desenvolvimentos assim que digo que nenhum outro canal soube fazer séries adolescentes como a WB fazia. Eram séries completas que provavam que séries dessa temáticas poderiam sim abordar assuntos relevantes de forma madura e bem feita e passar uma mensagem para seu público alvo. WB minha eterna crush e dona de mim para todo o sempre.
Preciso falar sobre Edna. Que personagem, que diálogo, que posicionamento!!! Rainha, você quer o mundo? Eu te dou.
Colin sendo patético no baile foi muita chacota para uma pessoa só. Morto que ele só foi de fato sentir ciúmes do Ephram nesse episódio, sabe de nada inocente. Quando que a Amy vai se tocar que está balançada pelo Ephram? Pra mim está tão claro que fico impressionado dos personagens não perceberem.
2019-05-26 10:50:11


Episodio 1x22 - Nota 9

No começo, com todo o plot do Ephram com o Andy, estava achando que toda a evolução no relacionamento deles estava indo para o brejo, mas depois que o plot se concluiu, pude notar melhor a intenção dos roteiristas com a estória do barco. A questão do Andy não é que ele não confia no Ephram ou o acha inconsequente, essa super proteção é um reflexo do medo que ele tem de perder uma chance de aproximação com o filho. Essa é a segunda chance do Andy de se aproximar dos filhos e tentar ter uma relação com eles. Fiquei bem feliz com a cena final, com Andy finalmente pisando no freio e permitindo que o Ephram passasse o verão em Nova York.
Finalmente eu consegui gostar do plot da Nina com o marido, afinal, como prever um plot twist como aquele? Impossível não ficar chateado e triste com a situação dela.

2019-05-26 10:51:00


Episodio 1x23 - Nota 9

Mds, essa season final e foi muito emocionante.
Sério mesmo que vocês deixaram para falar se o cara morreu ou não na cirurgia como cliffhanger? Ahhhhhhhh!!!!
Infelizmente eu acho que o Colin vai morrer, até porque acho que isso vai ser usado para aproximar a Amy do Ephram, sem contar que os diálogos dele, principalmente com o Andy estavam num tom de despedida. Fico triste com a situação dele, afinal ele ficou em coma por anos e quando tudo parecia começar a dar certo, dando-lhe um fio de esperança, acontece isso.
2019-05-26 10:52:07


Episodio 2x1 - Nota 10

Nossa, nada a ver a cidade toda virando olhos e culpando o Andy, como se ele tivesse cometido um erro médio ou algo assim. Praticamente todos sabiam do alto risco da cirurgia e que, infelizmente, Colin não poderia sair vivo da mesma. Mais uma vez os pais do Colin deram um show de imaturidade, pois sabiam das condições que o filho impôs ao médico e mesmo assim ficaram calados, se isentando da culpa, porque Andy muito antes os alertou das complicações quando os sintomas ruins voltaram e eles optaram por ignorar. Eles não querendo organizar o memorial é uma coisa difícil por conta da dor do luto, mas com certeza senti ali um pouco de peso de culpa.
O Ephram julgando o pai também me incomodou. Não importa que ele tenha se isolado o verão inteiro, ainda ruminando o resultado da cirurgia, aquilo era algo importante para ele, logo cabe a ele tomar o tempo que for para processar isso e seguir em frente, sem contar que é uma merda você ter que andar rua e ver as pessoas te julgando. Ele ainda estava trabalhando e cuidando da Delia normalmente, então, foi meio babaca e fácil pro Ephram simplesmente dizer (em outras palavras) : "Ah, deixa disso, coisas assim acontece. Esqueça disso e viva sua vida normalmente".
Sobre Amy, eu meio que dei uma relevada. Primeiro que ela não sabia das decisões do Colin antes dele se submeter a cirurgia, e segundo porque, quando alguém que você ama parte de forma repentina nessas condições, é normal você ser entregar a raiva e querer culpar alguém, nesse caso, Dr. Andy. A raiva dela me soou mais plausível do que as das pessoas da cidade.
Devo dizer que o começo do episódio me enganou direitinho. Eu acreditei que o Colin estava mesmo vivo, mesmo eu tendo terminado a season finale com a sensação de que ele não sobreviveria. Os roteiristas foram bem cruéis com essa pegadinha. Dito isso, acho que esse foi o melhor episódio da série e talvez o mais emocionante também.
2019-05-28 21:08:54


Episodio 2x2 - Nota 9

Eu sempre tive dificuldade para entender como é esse negócio de se inscrever na faculdade no EUA, mas sempre adoro quando abordam isso nas series adolescentes, hehehe. Esse episódio foi praticamente sobre isso.
Eu nunca pensei que eu iria gostar tanto do Harold como eu venho gostando de uns tempos para cá, como esse personagem cresceu em mim. Nesse episódio, por exemplo, ele me fez rir, concordar com sua sensatez (em relação a Amy) e ficar com com raiva pela imprudência com que ele lidou com o Bright até a cena final da episódio, em que ele tratou de corrigir sua cagada. Aliás, bacana darem essa atenção ao Bright, que deu um show de sensatez ao se negar usar a morte de Colin como muleta para contornar a situação do futebol.
A Amy me deixou preocupado aqui. Como Harold bem disse, não é só por causa da morte do Colin, é também como isso vai mudar toda a perspectiva de vida e tudo que ela havia projetado para o futuro dela com ele estando presente. É normal ela ficar com raiva e se fechar, porém do jeito que ela está fazendo tem que ficar de olho, e fico feliz dela ter contornado em pelo menos conversar com alguém sobre. Por mais que Harold e Rose tenham exagerado um pouco, não se pode culpar um pai e uma mãe por se preocupar com o futuro do filho.
Assistir séries dessa época é interessante, porque você sempre acaba reconhecendo um rosto conhecido no início da carreira. Me surpreendi com Kristen Bell aparecendo aqui, ainda mais nesse plot da tetas siliconadas kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Foi muito engraçado. As cenas entre o Andy e o Harold que esse plot rendeu foi muito cômicas. Amei! A única coisa que ainda está me incomodando é a hipocrisia dessa cidade que ainda está julgando o Andy pela morte do Colin, como se ele tivesse feito algo de errado. Meu!!!! Arghhhhhhhhh.
Sobre Andy e Ephram, tá muito bacana acompanhar o amadurecimento da relação deles. As brigas ainda estão lá, afinal eles são pai e filho, mas eles sempre estão dando um jeito de se entender. Temos uma evolução aqui, olha só!!!!
2019-05-28 21:09:36


Episodio 2x3 - Nota 9

Essa temporada começou com tudo, três episódios excelentes.
Fiquei chocado com o plot das crianças de 13 que estavam praticando sexo, não imaginava algo assim vindo. Aliás, fico indignado com a postura de alguns adultos dessa série, tudo bem, o fato de ser uma cidade pequena que muito provavelmente vai comentar o fato, espalhar e fofocar sobre é um argumento válido, mas se trata da saúde dos próprios filhos, logo me irritou muito os pais não pensarem nisso e criarem tanta resistência a ajuda do Andy.
Adorei a inserção da irmã do Harold, bem como a presença dela despertou antigas mágoas na família Abbott, acho que é uma personagem que veio para acrescentar, inclusive já estou aqui apostando que ela e o Andy podem quem sabe ter um lance aí, mas o que eu quero ver mesmo é como vai ser ela tralhando com o irmão na mesma clínica.
Brigth continua muito sensato nas decisões, inclusive se preocupando com a Amy, que inclusive tá só se afundando e claramente tá precisando de ajuda. Não gostei da irmã do Colin aqui, aliás, não entendi as atitudes dela nesse episódio, parece que a personalidade dela foi mudada.... não fez muito sentindo para mim.
2019-05-28 22:18:54


Episodio 2x4 - Nota 10

“... Desde o ponto mais alto das montanhas rochosas até o ponto mais fundo do Grand Canyon, grandes mudanças somente surgem de conflitos. Mas os maiores conflitos da natureza consistem na constante batalha da água contra a rocha ou colisões abaixo da crosta terrestre. Para as pessoas mudarem, são necessárias outras pessoas.”

Impossível para mim dar qualquer outra nota para esse episódio que não seja um merecido dez. O roteiro desse capítulo foi perfeito. Terminei de assistir a esse episódio embasbacado com a competência dos roteiristas de centralizarem e trabalharem todos os personagens em torno de uma problemática em comum (mudanças) e, com isso, passar uma mensagem.
Existem pessoas que lidam melhor com mudanças e outras não, mas fato é que mudar é algo que sempre mexe com a gente, as vezes necessária, mas nem sempre enxergamos isso, ou as vezes até queremos mudar, mas precisamos da ajuda de alguém ou que esse outro alguém dê aquele empurrãozinho que irá clarear nossa mente para o “por onde começar?” , e há também quem sabe que tem que mudar, mas cria uma enorme resistência para isso, porque, bem... mudar exige muito de nós mesmos. Foi basicamente sobre isso que girou esse episódio. Todos os personagens, até mesmo doutor Andy, personagem escolhido pelo roteiro para atuar como agente passível de ajuda, estava diante de uma situação em que lhe exigia mudanças.
Eu gosto de como o Andy se preocupa com aquela população, e foi assim que ele acabou ganhando o apreço dos habitantes de Everwood. Faz parte da personalidade dele e serve até mesmo como instinto de seu ofício. Porém, até mesmo para se ajudar alguém é necessário atenção. Andy estava tão envolvido em ajudar Jim a superar a morte de Colin e a lidar com seu vício em bebida, ajuda essa que ele não lhe pediu, que ele não percebeu que estava protelando a assistência necessária a Nina, que havia chegado até ele procurando ajuda para lidar com uma mudança muito importante para ela, e que ela por si só não sabia como prosseguir. Andy julgou que o caso do Jim era mais importante e que o conselho inicial que ele havia dado a Nina já era suficiente. O engraçado é que, mesmo com todo o esforço do Andy em ajudar Jim, o mesmo ainda persistiu na resistência e preferiu continuar como estava, mesmo sabendo que precisava mudar. Ainda nesse plot, foi interessante ver os papéis se inverterem com a personagem Nina sendo utilizada como agente de ajuda, ao abrir os próprios olhos do doutor Andy de que ele estava tão engajado em ajudar os demais a mudarem, que ele não percebeu que ele mesmo estava estagnado, remoendo uma mesma situação ( a morte da esposa), há dois anos, sem ao mesmo ter algum tipo de progresso, como seguir em frente e parar de usar a aliança, por exemplo.
Ephram foi um personagem que me irritou muito nesse episódio. Ele também está num processo de mudança, tendo que agora ter responsabilidades com a irmã. Eu não entendi por que o Ephram foi bem resistente a presença da Madison. Com ela de babá para a Delia, ele vai ter muito mais tempo para as coisas dele. É aquele negócio: tudo que é diferente do que estamos habituados e que exige de nós esforço para nos adaptarmos faz com que criemos resistência aquilo. A figura da Madison representa uma nova dinâmica naquele ambiente familiar e o Ephram não lidou muito bem com isso. Aliás, eu a-do-rei a Madison. Ela foi extremamente lendária, não abaixou a cabeça para o Ephram irritadinho e mimado, peitando-o e lendo de forma maravilhosa, em apenas uma noite de convívio, a complicada relação entre ele o pai, que acabam esquecendo que a Delia também perdeu a mãe e se mudou de cidade, logo também está diante de um processo de mudança. Aquele sermão para cima dos dois além de ter sido muito engraçado, ao mesmo tempo foi um puta puxão de orelha.
Harold foi outro personagem trabalhado pelo roteiro nesse sentido. Está claro que ele ainda tem sentimentos conflitantes em relação com sua irmã, algumas mágoas digamos assim, e aceitá-la trabalhando com ele em sua clínica, com seus métodos diferentes, também fez com que ele resistisse aquelas mudanças que ela estava propondo. Confesso que achei a Linda um pouco folgada com aquela coisa de espalhar incensos, mensageiro dos ventos e esses tipos de coisas em todo o estabelecimento, acho que ela tinha que ter se limitado apenas a sua sala etc., muito abrupto já ir colocando esse tanto de coisas assim já no primeiro dia de trabalho.
O caso de Amy foi mais simples, mas se você parar para pensar, ela também está lidando com um processo de mudança: uma realidade diferente de tudo que ela tinha planejado e vislumbrado para ela que, de repente, já não é mais acessível. É uma mudança inevitável, que lhe foi imposta. Eu não sei onde a série quer ir no desenvolvimento da personagem, mas estou preocupado, afinal ela está se demonstrando avoada e perdida, como a cena em que ela não se lembra da lição da redação e tal.
O final com a redação do Ephram foi maravilhoso e fechou o episódio muito bem:

“Quanto mais as coisas mudam, mais elas ficam do mesmo jeito. Não tenho certeza quem foi a primeira pessoa que falou isso. Provavelmente Shakespeare, ou talvez Sting. Mas no momento, é a sentença que melhor explica minha falha trágica: minha incapacidade de mudar. Eu não acho que estou sozinho nisso. Quanto mais conheço outras pessoas, mais percebo que é uma falha de todos. Ficar exatamente do mesmo jeito enquanto for possível, completamente parado. De algum modo, nos sentimos melhor. E se você estiver sofrendo, ao menos a dor é familiar. Porque se você perder esse pingo de fé, sair do casulo, fazer alguma coisa inesperada, quem sabe quais outras dores podem estar nos esperando lá fora? Há chances que poderiam ser piores. Então você mantém o status quo, escolhe a estrada já viajada, e isso não parece tão ruim, não tanto quanto as suas falhas. Você não é viciado em drogas, não está matando ninguém, talvez só você mesmo um pouco. Quando nós finalmente mudamos algo, não acho que acontece como um terremoto ou uma explosão, onde de repente já somos essa pessoa diferente. Eu acho que é algo menor do que isso. O tipo de coisa que a maioria das pessoas nem nota ao menos que olhem bem de perto. O que, graças a Deus, ninguém faz. Mas você percebe. Dentro de você, aquela mudança parece imensa, e você espera que seja ... Que esta seja a pessoa que você tenha que ser para sempre. Que você nunca tenha que mudar de novo.”

Eu amo esse tipo de série, o que eu posso fazer? Obrigado WB por ter existido < 3

2019-06-23 13:28:01


Episodio 2x5 - Nota 10

A primeira temporada foi muito boa, mas a qualidade dessa segunda elevou o nível mais ainda. Até agora foram só cinco episódios, e todos foram muito bons. Se continuar assim, essa vai ser mais uma série que vai entrar na minha lista de favoritas da vida!
Quando falo que gosto tanto das séries da WB é porque todas tinham um clima e um jeito único, totalmente inexplicável, que parece ser característico da forma como eles faziam séries, especial daquele canal, principalmente as séries adolescentes. Sim, temos os clichês típicos desse tipo de série, mas elas vão além, se preocupam também de falar de assuntos sérios de forma muito orgânica. O desenvolvimento do plot da Amy é mais um exemplo disso. A abordagem da depressão na personagem foi certeza e muito bem construída. A princípio eu achei que o Harold estava completamente errado em se negar aceitar receitar antidepressivos a filha. Nada muda o fato de que ele foi muito grosso, preconceituoso e estúpido com a terapeuta da Amy e na hora de impor suas opiniões. Porém, foi inegável não ver e tentar entender seus argumentos. Para Harold, Amy consegue passar por isso com a ajuda dos seus familiares sem precisar de ajuda de medicação, agora que eles estão consistentes de sua condição. Confesso que terminei o episódio sem formar uma opinião concreta sobre, nem acho que cabe a mim concluir algo, nem que era o objetivo do episódio. A questão é, muitas vezes as coisas estão acontecendo debaixo do seu nariz, mas somos incapazes de ver. Externamente uma pessoa pode estar aparentando estar bem, mas internamente ela pode estar quebrada, tentando pedir ajuda, mas se encontra incapaz de fazer isso sozinha.
A utilização dos sonhos da Amy para representar sua depressão foi muito simbólica: no sonho, Amy está num campeonato de natação. De um lado ela, do outro, seus pais. Amy começa a nadar, tentando chegar do outro lado, seus pais gritam seu nome. A medida em que ela nada, a distância parece nunca diminuir, o desespero aumenta e ela vai perdendo suas forças. Ela pede por socorro, mas ninguém parece ser capaz de escutar. Cansada de tentar, ela começa a ficar submergida pela água, onde lá ela se depara com Colin, aqui representando a morte, que a chama para ir com ele.
A relação pai e filha também foi assunto no plot do Andy com Delia. Mais uma vez tenho que enaltecer a capacidade de leitura da Madison. Girl, me ensina a ler as situações assim? É claro que a Delia estava incomodada com a presença da Linda, só Andy e o Ephram que são tapados demais para perceber. A parte que o Ephram começa a rir depois que Delia solta um palavrão foi a melhor. Na hora que ele começou a rir, eu instantaneamente tive crise de riso também kkkkkkkkk. Na boa, a quem Andy e Linda querem enganar? Esse final aí deixou explícito que ambos estão interessados um no outro.

2019-06-23 13:28:47


Episodio 2x6 - Nota 9

“Dizem por aí que só se acredita no que vê. Mas a verdade é que todos temos pontos cegos. Às vezes nós mesmos os reconhecemos. Às vezes outros reconhecem por nós. A distância tem um modo de distorcer as coisas que vemos, mas o que parece ser um obstáculo pode na verdade ser uma oportunidade. O truque é ter fé o bastante para seguir adiante.”


O plot da cegueira do reverendo Keyes é de partir o coração. Me quebrou quando ele surgiu a primeira vez na série e me quebrou novamente. Mesmo com olhos saudáveis, as vezes somos condicionados as olhar as coisas e as situações grosso modo, um modo muito superficial. Com isso, acabamos por esquecer de olhar para os lados, para os detalhes, e são nos detalhas que as coisas essenciais e importantes estão. O que aconteceu com o reverendo Keyes é uma fatalidade, porém seu bom humor e a forma como ele escolheu enxergar as situações o permitiu olhar para os lados e notar que ali tinham alguém que estava ali com ele, disposta a ajudá-lo a passar por aquele obstáculo. Uma mulher com quem ele iria se casar e construir uma história, alguém que iria lembrá-lo que a morte dos seus olhos não necessariamente era a morte de si como um todo, que ele ainda tinha uma vida independente disso. Que ainda valia a pena viver e não se desistir.

“Michelangelo disse que a melhor maneira de julgar os elementos essenciais de uma escultura é jogá-la de um morro e as peças que não forem importantes vão se quebrar. Às vezes a vida é assim. Ela nos joga morro abaixo, mas quando atingimos o fim e só restam as coisas mais importantes, é quando nossa visão clareia. É quando nos agarramos ao que conhecemos, enquanto a esperança se mexe dentro de nós. É tudo uma questão de perspectiva.”

Mds, Ephram, você dirige muito mal, rsrsrs. Morri na parte da baliza, “Bem, acho que você pode pegar um taxi até o meio fio” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Adorei a aproximação dele com a Madison, e ela o ajudando a se preparar para o teste. Ephram e Madison juntos romanticamente é algo que eu não oporia, mesmo eu preferindo a dinâmica deles como amigos, principalmente por conta dos sarcasmos dela.
A cena com o conflito entre Ephram e Amy me trouxe sentimentos mistos, comigo tendo duas possíveis interpretações da mesma cena. Antes de mais nada, Amy e Ephram têm química, eu definitivamente gosto dos dois juntos, mesmo que eles ainda não estejam de fato juntos. O que o Ephram falou para Amy foi corajoso, ele precisava desabafar e expressar o que ele estava sentindo. Além disso, o que o Bright falou é uma verdade: por mais que a Amy não goste do Ephram na mesma intensidade que sentia pelo Colin, algo por ele ela sente. Por outro lado, nessa situação específica, não acho que a Amy tenha procurado o Ephram porque ele era sua última opção. Ela não tinha feito planos com ele. Na minha concepção, ela sentiu vontade de conversar com alguém e sentiu que ele poderia ser uma boa pessoa para conversar naquele momento, não senti que ela só o procurou porque ela não tinha mais ninguém para conversar.
A dança dos dois foi bonitinha demais, e eu gostei da sinceridade da Amy. O momento para os dois não está encaixando. Amy ainda está lidando com um luto, com toda uma mudança, enquanto Ephram está cansado de esperar e de achar que ela nunca vai gostar dele com ele gosta dela. Agora, ele está querendo buscar alguém que vai gostar dele de volta. Foi como ele disse: estava parecendo um término de namoro, antes mesmo de ter tido um namoro propriamente dito.

2019-06-23 13:29:24


Episodio 2x7 - Nota 8.5

Um episódio que não seguiu o mesmo nível de qualidade dos anteriores, mas que ainda sim me agradou em algumas maneiras.
Gostei de focarem em três personagens que não conhecíamos, permitindo que a gente explorasse mais habitantes de Everwood. A forma como escolheram estruturar o episódio, intercalando os acontecimentos do presente com flashbacks, foi uma ótima escolha. As cenas nas minas foram tensas, e eu particularmente me senti envolvido com as estórias do Daniel e da Ellie, assim como eles ligaram esses novos personagens com os personagens principais da série. Adorei o final com todos os habitantes ajudando a construir o farol, sabendo da importância simbólica que aquilo representava para Daniel.

PS: primeiro episódio que mostra Harold, Andy e Linda trabalhando juntos e eu gostei disso, porque cada deles, com suas particularidades, se mostraram necessários naquela emergência.

2019-06-23 14:50:59


Episodio 2x8 - Nota 8.5

Eu não estava esperando esse plot da Linda ter HIV. Mais uma vez os roteiristas me impressionam com a abordagem de temas importantes na temporada. Fiquei triste pela Linda, porque dá para ver que ela sente algo pelo Andy, mas está preocupada com seu segredo. Ela ainda não estava preparada para contar, e muito provavelmente sente que não pode manter um relacionamento sendo soropositiva, ou talvez ela ainda não se sente segura para isso ou até mesmo teme sofrer preconceito por parte das outras pessoas. É um plot muito interessante para se desenvolver, com várias possibilidades de discussão necessárias. Fico feliz de eles terem investido nisso em algo assim.
Estou gostando de como eles estão trabalhando a questão da depressão da Amy, está sendo um desenvolvimento bem realista a meu ver. Como médico, esperava uma abordagem um pouco diferente por parte do Harold, ficou decepcionado com a forma como ele fala com ela. Não é bem a forma certa de se falar com uma pessoa depressiva. É como ele disse, ele já não sabe como ajudá-la, se sente frustrado com isso, e ela não sabe como se ajudar, mas fico pensando: será que custa tanto assim tentar a medicação? Digo, se já não sabem o que fazer, por que não considerar essa opção? Gostei de uma passagem durante o episódio que exemplifica muito aquela situação clara de depressão, quando a pessoa começa a perder interesse até nas coisas mais corriqueiras, no caso de Amy, ir à escola: “Eu estava indo para a escola e fiquei observando todos os garotos entrando lá. O dia começando. Então eu estava lá fora, olhando para eles e não pude me imaginar lá dentro, então... continuei dirigindo.”
Não é por nada não, mas achei essa banda da Madison bem ruinzinha, assim como a música que ela estava cantando kkkkkkkkkkkkk. Eu até consigo shippar ela com o Ephram, mas sei lá, não sei se tem muita química ali. De todo caso, acho que a garota que o vidente estava falando não era Madison, e sim Amy.

2019-07-29 20:02:43


Episodio 2x9 - Nota 8.5

Gostei desse Tommy. Será que Amy finalmente está preparada para seguir em frente?
Estou torcendo muito por Dr.Andy e Linda. Conhecendo bem o jeito do Andy, acredito que ele não vai ter preconceito algum e vai sim tentar algo com ela, acho que o problema mesmo vai ser a Delia, que já demonstrou não curtir muito a aproximação dos dois.
Morri com o Ephram tentando evitar a Madison a todo custo e a Delia convidando-a para a festinha.
2019-07-29 20:07:11


Episodio 2x10 - Nota 8.5

Continuo achando a abordagem do Harold com a filha depressiva bem problemática. Tudo que ele sabe fazer é gritar e gritar, assim fica difícil, cara! Por outro lado, a Amy também não facilita. Pô, conheceu o cara ontem e já está convidando-o para jantar com a família? E do que adianta ficar fugindo de casa? Ai, estou começando a ficar com preguiça dessa briga dos dois.
Outra coisa que não entra na minha cabeça é por que a idade está sendo tão difícil assim para a Madison. Gente, são só quatro anos de diferença! Do jeito que ela coloca parece que são sei lá, uns vinte! Quem se importa com isso? Ninguém tem a ver com a sua vida, mulher.
Affs, lá vai a Delia começar a sentir ciúmes da Linda...
2019-07-29 20:13:11


Episodio 2x11 - Nota 8.5

Tá difícil defender a Amy com essa atitude. Custava aceitar as exigências e voltar? Não, quer pirraçar. Adorei a imposição Rose para cima do Harold. Ela está certíssima, ele não dá espaço para ela exercer sua autoridade e quer fazer tudo do jeito dele.
Ainda bem que o plot da Delia com ciúmes da Linda já acabou nesse episódio. Achei bonitinho o Ephram admitindo que tinha sim problemas com esse namoro do pai, mas que iria trabalhar isso e ficar de boa com a ideia.
2019-07-30 20:16:29


Episodio 2x12 - Nota 8.5

Amy mais folgada que isso impossível. Morri que ela pegou a avó e o namorado transando kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. "Eu sou seu futuro" kkkkkkkk muito bom!!!
Ai, forçadíssimo eles investirem nesse plot da idade como conflito para o romance de Ephram com Madison. Gente, você olha para os atores e nem da para você notar que tem diferença de idade, por isso quando o moço do guichê do cinema cogitou que ela poderia ser a mãe dele, minha reação foi: "puff, não força vai!". São só quatro fucking anos!!! Por que estão fazendo disso um problema? What a hell!!!!!!
Depressão, HIV e agora bulimia, mais uma vez a série abordando assuntos importantes na temporada, esse com certeza é o melhor aspecto dessa season.

PS: comentário aleatório,mas que é inevitável: nossa, como a Emily VanCamp está bonita nessa série, principalmente com esse cabelo e franja.
2019-07-30 20:22:16


Episodio 2x13 - Nota 8.5

Que pestinha esse filho da Nina, hehehe. Andy vacilou mesmo como amigo, bem que notei que ela sumiu mesmo.
Nossa, esse Tomy é muito estranho, isso vai dar mô ruim.
Cansei dessa briga da Amy com a família, ela poderia voltar logo. Já deu, mulher.
Acho que estou começando a ficar cansado desse relacionamento do Ephram com a Madison.
2019-07-30 21:13:28


Episodio 2x15 - Nota 8

Já podem separar Ephram e Madison, porque esse relacionamento deles ficou insuportável de chato.
2019-08-11 15:45:56


Episodio 2x18 - Nota 8.5

Mds, como o Ephram ficou insuportável com esse vai e volta com a Madison!!! Tudo bem que é um adolescente tendo seu primeiro namoro sério, passando pelo seu primeiro término difícil, mas, nossa, quem aguenta? Adoro que a Delia pega as coisas mais rápido que os adultos e em menos de um minuto resolveu a situação. Achei bonitinho ela toda preocupada que o irmão estava o tempo todo triste. Espero que esse seja o fim do casal Ephram e Madison, porque real, não dá mais. Morri com a velhinha de Joan of Arcadia aparecendo aqui. Praticamente a mesma personagem e rabugenta igual. Adoro essa senhorinha kkkkkkkkk
Eu gosto tanto da amizade do Andy com o Harold e entendo os dois lados, só espero que eles não demorem muito a voltar a se falarem. Bright foi o dono do episódio, fiquei com vontade de dar nove só por conta do plot dele, mas tivemos Ephram, então... Harold é um bom pai, o grande problema dele é querer controlar todas as situações e ser protetor demais, ele precisa deixar que os demais se imponham mais e sejam donos das suas próprias decisões. Gostei que o Bright soube se expressar e passar essa mensagem para o pai, assim como ele tomando atitude de tentar corrigir o que está dando errado de forma responsável e madura. Forças, Bright

2019-10-13 11:55:10


Episodio 2x19 - Nota 10

Que episódio tenso e de partir o coração. Fico só pensando no peso que a Linda tem que carregar vendo sua vida o tempo todo mudar por conta do preconceito das pessoas. É muita ignorância e falta de informação desses habitantes. Cidade pequena é foda! Aliás, palmas para a série, que está fazendo uma abordagem muito importante e correta sobre o preconceito com pessoas HIV positivo. Tanto esse tema quanto a depressão foram temas trabalhados nessa season, e esse aspecto é facilmente o ponto alto dessa season.
Harold é cabeça dura, é bem verdade, mas eu fiquei feliz e emocionado de ver ele não querendo desistir da causa e querendo seguir com o caso, defendendo a irmã. Fiquei sentido com ele desabafando com a mãe por medo de ver a irmã se afastar novamente. A preocupação de Ephram foi válida no sentido de se ponderar as decisões do pai, visto que ele é tudo que eles têm, porém, novamente, é falta de informação, gente. Logo... não era para tomar esse tipo de proporção, né?
Aaaaaaaaaaaaaaa a Amy querendo dar uma chance para o Ephram, aposto que até o fim da temporada eles vão ficar juntos. Ao mesmo tempo, esse trio de amizade formado pelos dois mais Bright tá tão bom que eu queria que esse provável casal fosse postergado um pouco, pra gente curtir mais essas cenas entre eles.

2019-10-13 11:55:32


Episodio 2x20 - Nota 8.5

Ephram mais tapado impossível, hahahahaha. Mas eu entendo, passou um tempão gostando da garota e não era recíproco que, quando ela finalmente começa a gostar dele, nem lhe passa pela cabeça essa possibilidade. Chorei de rir do Bright e suas entrevistas, e do Ephram achando a acompanhante do moço parecida com a Jerri de Survivor kkkkkkkkkkk
Triste pela partida da Linda, mas ela está certa. Eu não conseguiria ficar numa cidade em que as pessoas não me aceitam e me tratam com preconceito. Sem contar que era importante para ela ter um emprego e exercer a profissão que ela escolheu para si.
Também gostei do plot do amigo do Andy e do tumor. Tivemos Colin situation revival aqui, só espero que o final seja diferente dessa vez.

2019-10-13 11:55:55


Episodio 2x21 - Nota 8.5

Putz, Amy e Ephram nem começaram a namorar e já está nessa dr toda? Altas chances de dar certo, hein... só que não!
Morri com o Harold pagando os moradores da cidade para fingir serem pacientes kkkkkkkkkkkkkk

2019-10-13 11:56:17


Episodio 2x22 - Nota 9

Entendo o que motivou o Andy fazer o que fez, mas, amigo, assim não tem como te defender. Aposto que Ephram vai acabar descobrindo e isso vai acabar com o “namoro” dele com a Amy e todo o progresso que tanto ele quanto o pai tiveram na relação entre eles. Ou seja, fodeu!!!!
Ahhhhhhhhhhhhh amei a proposta de sociedade do Andy com o Harold. Quero muito ver isso, lógico que eles vão bater cabeça.

2019-10-13 11:56:39


Episodio 3x1 - Nota 9

O relacionamento do Ephram e da Amy parece que não vai engatar nunca! Sempre tem algo acontecendo para atrapalhar. Eu estava jurando que a Madison tinha mandado uma carta para o Ephram contando tudo, mas ele na verdade foi reprovado. Entendo a frustação do Ephram diante disso, mas não entendi ele querer dar um tempo no relacionamento por esse motivo. Achei too much.
Andy pisou muito na bola mesmo, mereceu ouvir tudo aquilo que a amiga da Madison falou. Ainda acho que ele não vai conseguir esconder esse segredo por muito tempo e vai contar para o filho. Já estou esperando o drama que isso vai ser. Durante o episódio, cheguei a pensar que a sociedade entre Andy e Harold, que mal começou, iria afundar, mas ainda bem que não, acredito que essa sociedade tem tudo para render muita cena boa, como já rendeu nesse episódio. E, gente, esse doutor novo que chegou na cidade? Parece um personagem bacana, tô sentindo que ele vai se interessar pela Nina. Será? Ela tá precisando mesmo de um plot próprio.
Ephram levando esporro da Delia é tudo de bom.
Amei a abertura nova!

2019-10-13 11:57:08


Episodio 3x2 - Nota 9

Morto que o Harold está reagindo ao novo médico da mesma forma que ele reagiu na época que o Andy chegou na cidade kkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
Adoro quando os casinhos médicos vão de encontro com o dilema principal que um personagem está passando, como Andy se perguntando se ele escondesse o caso extraconjugal da esposa do paciente, estaria ajudando-a e privando-a de uma decepção. O diálogo da Nina com o Andy foi muito bom. Rainha sensata. Andy precisa contar tudo para o Ephram logo, que agonia!!!!
Não aguento essas brigas do Ephram com a Amy. Gente, vocês começaram a namorar a pouco tempo e já estão assim??????
Amando o plot do Bright. Como esse personagem cresceu na série.
A April de Greys aparecendo aqui, rsrsrsrsrs.

2019-10-13 11:57:30



Obs:Precisa de mais de 5 comentarios para aparecer o icone de livro no seu perfil. Colaboradores tem infinitos icones de livrinhos, nao colaboradores tem 5 icones de livrinho do perfil

Johnathan Fernandes

Copyright© 2019 Banco de Séries - Todos os direitos reservados
Google+ | Índice de Séries A-Z | Contatos: | DMCA | Privacy Policy
Pedidos de Novas Séries